OUÇA AO VIVO 750 AM

Selo Sesc lança CD O Romantismo de Henrique Oswald em São José dos Campos

sesc
O romantismo de Henrique Oswald, Créd. Evelson de Freitas

Com foco na revitalização da memória da música brasileira e de seus protagonistas, o Selo Sesc lança o CD O Romantismo de Henrique Oswald com peças para piano e violino e para piano solo. Todas foram selecionadas e são interpretadas pelo pianista e estudioso das obras de Oswald, José Eduardo Martins.  As faixas de piano e violino têm participação do violinista  belga Paul Klinck. O show de lançamento no interior acontece no dia 22 de junho, às 20h, no Sesc São José dos Campos.

O pianista estuda a trajetória de Henrique Oswald desde 1978. Em sua análise, o compositor teria sido deixado de lado num período de exacerbação nacionalista e valorização de músicos que cultivaram elementos de brasilidade nas composições. De forma fundamentalmente europeia e cosmopolita, Oswald foi reconhecido em terra estrangeira, inscrevendo sua obra no romantismo vigente, sem traços de ruptura estética de músicos a ele contemporâneos.

José Eduardo Martins explica a concepção deste D consagrado ao mais importante compositor romântico brasileiro. “Primeiramente, temos algumas das obras para violino e piano, como por exemplo, a Sonata op. 36 em Mi, considerada uma das mais  significativas sonatas do período em termos mundiais. Em piano solo, o álbum traz, por exemplo a peça En Rêve.Composição idílica e dedicada à aluna e admiradora Leozinha Magalhães, primeira biógrafa do compositor.”

Henrique Oswald

Henrique Oswald (1852-1931) nasceu no Rio de Janeiro, filho de pai suíço-alemão e de mãe italiana. Viveu a infância e a adolescência em São Paulo, partindo com a mãe para Florença,onde estudou e viveu durante décadas. Em 1902 recebeu o primeiro prêmio por sua composição Il Neige, láurea recebida do jornal “Le Figaro” em Paris, em concurso em que concorreram 647 peças de autores de todo o mundo. Após breves viagens ao Brasil, retornou definitivamente ao país em 1903, onde inicialmente dirigiu o Instituto Nacional de Música doRio de Janeiro. Sua obra abrange vários gêneros: sinfônico, camerístico, coral, operístico e, sobretudo, piano solo.

 

José Eduardo Martins

Em São Paulo, estudou com o professor russo José Kliass. Posteriormente aperfeiçoou-se em Paris com Marguerite Long, Jean Doyen e Louis Saguer. Como pianista apresentou a integral para piano de Debussy, Moussorgsky, Francisco de Lacerda e para teclado de Rameau, entre outras. Realizou a primeira audição de cerca de 200 obras contemporâneas para piano. José Eduardo Martins gravou 24 CDs para os selos Labor (USA), Portugaler and PortugalSom (Portugal), Esolem (France) e especialmente De Rode Pomp, na Bélgica. É autor de vários livros publicados no Brasil, Portugal (Universidade de Coimbra) e França (Universidade Sorbonne). Doutor Honoris Causa pela Universidade Constantin Brancusi da Romênia, Martins é Membro Honorário da Academia Brasileira de Música. Em Bruxelas recebeu a Ordem do Rio Branco do Governo do Brasil, assim como a Ordem da Coroa, condecoração outorgada pelo Rei Alberto II da Bélgica. José Eduardo Martins também é professor titular aposentado da Universidade de São Paulo.

 

Faixas do CD

 

Piano e Violino

1 – Sonata em Mi Maior para violino e piano op. 36 – I Allegro Moderato

2 – Sonata em Mi Maior para violino e piano 36 – II Allegreto molto moderato

3 – Sonata em Mi Miaor para violino e piano op. 36 – III Andante, molto expressivo

4 – Sonata e Mi Maior para violino op. 36 – IV Allegro em foco

5 – Romance, andante molto Espressivo op. 7 nº 2

6 – Roance, andante com moto

7 – Noturne

Piano Solo

8 – Bluettes – I Paquerette

9 – Bluettes – II Myosothis

10 – Bluettes – III Bruyére

11 – Bluettes – IV Perce-neige

12 – Bluettes – V Coquelicot

13 – Bluettes – VI Muguet

14 – Bluettes – VII Blue

15 – Bluettes – VIII Pervenche

16 – Bluettes – XI Bouton d´or

17 – Bluettes – XII Violette

18 – Valse op. 25 nº 1

19 – Valse op. 25 nº 2

20 – En Rêve

21 – Nocturne op. 6 nº 1

22 – Nocturne op. 6 nº 2

23-Étude II

24-Valse-Capirce op. 11 nº 2

Selo Sesc 

Criado há 15 anos, o Selo Sesc tem o objetivo de registrar o que de melhor é produzido na área cultural. Constrói um acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Em 2018 lançou dezenas de discos, entre eles “Debut” de Paulo Martelli, “A Paixão Segundo Catulo”, dirigido por Mário Sève, “Mar Virtual” de Eugénia Melo e Castro, “Viola Paulista”, dirigido por Ivan Vilela, “Tradição Improvisada”, de Nelson da Rabeca e Thomas Rohrer, “Cantos de Trabalho II”, da Cia. Cabelo de Maria e “Intuitivo”, de Itiberê Zwarg & Grupo”, “Jacob do Bandolim 100 Anos – Sentimento e Balanço”, de Joel Nascimento e Fábio Peron, “Blue Voyage”, de Raul de Souza e “Anaí Rosa atraca Geraldo Pereira”, de Anaí Rosa, além do Box de DVDs “Movimento Violão”, a série em DVD “O Som da Orquestra – Exército dos Metais” e os lançamentos exclusivos para o digital: “Basa Black Bossa” de Alexandre Basa, “Ilíada e Odisseia – Ritmo e Poesia” e a série “Sessões Selo Sesc”, com gravações de shows ocorridos nas unidades do Sesc: #1: Orquestra Mundana Refugi, #2: Siba e a Fuloresta, #3: Metá Metá.

Este ano foi lançado no mercado digital os álbuns Sessões Selo Sesc #4: Rashid Sessões Selo Sesc #5 Bixiga 70. Além do CD-livro São Paulo: paisagens sonoras (1830-1880) da pesquisadora, cantora, musicóloga e mezzo-soprano Anna Maria Kieffer, e os CDs Duo + Dois (Fernando Melo, Luiz Bueno, Carlos Malta e Robertinho Silva), Construtores de Sons (Marco Scarassatti e Livio Tragtenberg), Universo (grupo Rumo), Garoto (Paulo Bellinati) e o DVD Exército dos Metais, dasérie O Som da Orquestra.

 

Zumbido

Zumbido, uma publicação Selo Sesc, é a revista digital sobre música do Selo Sesc e está disponível no aplicativo mobile do Sesc em São Paulo (iOS e Android) e no Medium (sescsp.org.br/zumbido). A revista chega para discutir a música como linguagem, sem ignorar o componente afetivo que nos move ao dar o play num fonograma, baixar a agulha no vinil ou vasculhar o encarte de um CD. Com atualizações semanais, a revista serve como um espaço para reflexão sobre os diversos aspectos da cadeia musical. Para suas seções, são convidados compositores, escritores, jornalistas e músicos para a produção dos textos.

Os ingressos estão à venda nas bilheterias do Sesc e pelo portal sescsp.org.br/sjcampos. Os preços variam entre R$5,00 e R$17,00. Classificação indicativa 14 anos.

O Sesc São José dos Campos fica na Av. Adhemar de Barros, 999 – Jd. São Dimas. Mais informações pelo telefone 12.3904.2000 e no site sescsp.org.br/sjcampos

WhatsApp chat