OUÇA AO VIVO 750 AM

Sarampo: saiba como se proteger desta doença

sarampo vacina
Vacinação contra o sarampo – Foto: Charles de Moura/PMSJ

O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, cujos sintomas são: febre, tosse,  coriza, conjuntivite e manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular).

Grupo de risco a complicações da doença

  • Crianças menores de 5 anos de idade, sobretudo as desnutridas
  • Adultos maiores de 20 anos
  • Pessoas com imunodepressão ou em condições de vulnerabilidade
  • Gestantes

Complicações comuns nos casos mais graves da doença

  • Otite média
  • Broncopneumonia
  • Diarreia
  • Encefalite
  • Trabalho de parto prematuro e baixo peso ao nascer
  • Óbito (normalmente em decorrência de complicações, como a pneumonia e a encefalite)

Formas de transmissão

A transmissão é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou principalmente em ambientes fechados como, por exemplo: escolas, creches, clínicas, meios de transporte.

As pessoas infectadas são geralmente contagiosas cerca de 6 dias antes do aparecimento da erupção cutânea até 4 dias depois. Os sintomas aparecem em média de 10-12 dias desde a data da exposição (1,2).

Como prevenir?

A vacina tríplice viral é forma mais eficaz de prevenção contra o sarampo, protegendo ainda contra a rubéola e a caxumba.

Onde tomar a vacina?

Nas Unidades Básicas de Saúde do município.

Quem deve ser vacinado?

  • Bebês de 6 até 12 meses (Dose D)
  • Crianças de 12 meses (primeira dose tríplice viral) 15 meses (segunda dose tetraviral)
  • Crianças de 15 meses a adultos de até 29 anos sem o registro de duas doses (se tiver tomado uma dose, terá que tomar a segunda. Se não tomou nenhuma, deve receber duas no intervalo de 30 dias)
  • Adultos de 29 a 59 anos, sem registro na carteira (tomar uma dose)
  • Profissionais de saúde

Quem NÃO deve se vacinar?

  • Gestantes
  • Crianças menores de 6 meses
  • Imunodeprimidos

Importante

  • Quem tem registro de duas doses na carteira, sem contato com casos suspeitos ou confirmados, não precisa tomar a vacina.
  • Os idosos (acima de 60 anos) também não precisam ser imunizados, pois entende-se que elas já tiveram contato com o vírus em algum momento da vida.
  • Na dúvida, a Prefeitura orienta a população a procurar a unidade básica de saúde para atualização da carteira vacinal.


Quais medidas são adotadas em casos de suspeita e confirmação do sarampo?

Após ser notificada de casos suspeitos ou confirmados de sarampo, a Prefeitura inicia as ações de bloqueio e varredura, que incluem a vacinação de parentes, vizinhos e pessoas que possam ter tido contato com casos suspeitos e confirmados.

Nestas ações, mesmo quem já tomou as duas doses, deve ser vacinado.

 

WhatsApp chat