OUÇA AO VIVO 750 AM

São José: Com apoio da Prefeitura, região sudeste se une contra a dengue

Começou nesta segunda-feira (4) e vai até sexta (8) a segunda Operação Casa Limpa, que está sendo realizada na região sudeste de São José dos Campos. Sempre das 8h às 14h, a ação visa combater o mosquito transmissor da dengue e de outras arboviroses.

Na Operação Casa Limpa, os agentes orientam os moradores a eliminar criadouros do mosquito transmissor - Foto: Charles de Moura/PMSJC
Na Operação Casa Limpa, os agentes orientam os moradores a eliminar criadouros do mosquito transmissor – Foto: Charles de Moura/PMSJC

Durante os dois primeiros dias da campanha, 93 agentes, divididos em 11 equipes, vão visitar cerca de 5.000 casas e orientar os moradores dos bairros Jardim da Granja, Jardim Souto, Residencial Cambuí, Chácaras São José, Jardim Uirá, Martim Cererê, Jardim Colorado, Residencial Flamboyant e das adjacências. Os munícipes recebem folhetos explicativos e sacos de plástico para descartar objetos inservíveis para que não se tornem criadouros do Aedes aegypti.

Quarta-feira (6) será o grande dia da campanha, quando dois caminhões vão passar em todas as ruas visitadas para recolher o material. Na primeira ação, realizada na região sul, foram coletados aproximadamente 6 toneladas de produtos inservíveis, como pneus velhos, baldes, garrafas e embalagens.

“A parceria entre Prefeitura e moradores é fundamental e tem funcionado para nós aqui”, disse Maria Nazaré Messias, do Residencial Cambuí. Ela afirmou que a colaboração de todos é o melhor caminho para tornar o bairro livre do mosquito. “Eu cuido do meu quintal, limpando e fazendo a vigilância, mas nem todos os vizinhos cuidam do deles. Quando passa o surto de dengue, as pessoas relaxam. O pessoal acha que está tudo bem, mas não está.”

O objetivo da Operação Cidade Limpa é recolher pneus, latas, potes, garrafas, plásticos, lonas, louças sanitárias, baldes, tambores, piscinas desmontáveis e qualquer outro recipiente que acumule água. Não são coletados terra e entulho de construção, tábuas, madeiras, móveis velhos, roupas, lixo orgânico, folhas e restos de podas.

Na primeira edição – ocorrida no Jardim Satélite, Bosque dos Eucaliptos, Vila São Bento, Vila Nair, Vila Letônia, Floradas de São José e adjacências – foram visitados 14.696 imóveis e recolhidos 5,9 toneladas de materiais e objetos que servem de criadouros para o mosquito Aedes aegypti. A quantidade lotou seis caminhões usados na operação, que mobilizou 125 agentes do Centro de Controle de Zoonoses e 30 funcionários da Prefeitura e Urbam.

Desde o início do ano, a Vigilância Epidemiológica de São José dos Campos registrou 617 casos de dengue, com 4 óbitos.

WhatsApp chat