OUÇA AO VIVO 750 AM

Por falta de provas, Maninho é absolvido por unanimidade pelos vereadores

Por falta de provas, Maninho Cem por Cento (PTB) é absolvido por unanimidade pelos vereadores nas três denúncias, nas quais era acusado de irregularidades no exercício do mandato. O caso foi apreciado pelo plenário da Câmara Municipal, em São José dos Campos, nesta terça-feira (12/03), em sessão extraordinária.

O relator do caso, Calasans Camargo (PRP), pediu o arquivamento do caso, em que o vereador era acusado de cobrar pedágio de servidor indicado para trabalhar na prefeitura de São José dos Campos, de desvio de função e também de cobrar doações eleitorais irregulares. A presidente da Comissão, Juliana Fraga (PT) e a membro, Dulce Rita (PSDB) seguiram o relator ao arquivamento do caso.

Exclusivo: Maninho se defende e diz que é alvo de ciumeira e armação (Ouça)

O relatório foi lido pela mesa Diretora da Casa na noite desta terça-feira e Camargo apontou falta de provas materiais para levar o caso adiante.

No mérito do processo, ele ressaltou que seu viu um na realidade um “cenário sugestivo a impronúncia, demonstrando o não atendimento a produção de provas materiais”.

O relator concluiu convicto, pelo que foi exposto no curso do processo, pela improcedência da acusação. “Deste modo respeitadas opiniões dissonantes esse é o relatório que submeto ao integrantes desta comissão”, frisou Camargo.

Votação

As três denúncias (cobrança de pedágio de assessores, desvio de função de cargo e doações eleitorais irregulares) foram colocadas em votação e os vereadores absolveram Maninho por unanimidade nos três casos.

O advogado de Maninho, Cristiano César de Andrade de Assis, disse que “havia um sentimento de vingança por trás disso”.

O caso foi arquivado pelo presidente da Câmara, Robertinho da Padaria (PPS) e ata da sessão extraordinária será encaminhada à Justiça Eleitoral.

Jesse Nascimento

WhatsApp chat