OUÇA AO VIVO 750 AM

Paratletas de São José trazem de Lima quatro ouros e dois bronzes

Com mais duas medalhas de ouro conquistadas nesta quarta-feira (28) nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, a delegação do Time São José e do Instituto Athlon na competição vai voltar para casa com um total de seis medalhas, sendo quatro de ouro e duas de bronze.

ucas Prado termina em primeiro e ganha uma das três medalhas de ouro do atletismo PCD de São José no Parapan - Foto: Divulgação
ucas Prado termina em primeiro e ganha uma das três medalhas de ouro do atletismo PCD de São José no Parapan – Foto: Divulgação

As medalhas de ontem foram ganhas por Lucas Prado, com o guia Anderson dos Santos, nos 100 metros rasos na classe T11 (cegos), e por Leandro Henrique da Silva, campeão na modalidade de vôlei sentado.

Emoção

Lucas venceu com o tempo de 11s244, em prova definida no photo finished por 3 milésimos de segundo em relação ao segundo colocado, o também brasileiro Felipe Gomes, que marcou 11s247.

“Minha estratégia foi terminar a prova sem me lesionar. Em Toronto [Parapan 2015] eu estava machucado, no Mundial de Doha eu rompi o tendão. Esse grito de campeão estava engasgado e pude soltá-lo hoje”, comemorou, logo após a prova.

Lucas Prado tem 34 anos e esbanja ótimos resultados na carreira. Ganhou duas pratas em Londres (2012), nos 100 metros e 400 metros rasos; dois ouros no Campeonato Mundial na França (2013), nos 100 metros e 200 metros rasos, além de ouro (revezamento 4×100 metros rasos) e prata (100 metros rasos) nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto (Canadá), em 2015.

Em Tóquio

Leandro Henrique foi campeão no vôlei após vitória contra a seleção dos Estados Unidos, por 3 sets a 0, em 1h22min de partida. As parciais ficaram em 25/18, 25/22 e 25/12. A campanha do Brasil foi brilhante, com sete vitórias em sete jogos e apenas dois sets perdidos. O resultado classifica a seleção para a Olimpíada de Tóquio em 2020.

O atleta, que tem 35 anos e 2m03 de altura, é atacante na equipe. Ele já possuía o título de campeão no Torneio Pré-Mundial em 2017 e 3º lugar no Mundial em 2018.

Dirigente

A delegação joseense também é integrada pelo dirigente Kelvin Bakos, do Instituto Athlon. Ele está em Lima como coordenador das modalidades de judô e goalball masculino e feminino. No judô, a equipe do Brasil conquistou quatro ouros, três pratas e quatro bronzes. As equipes de goalball ainda não encerraram sua participação. O masculino joga hoje contra a Venezuela pela semifinal, enquanto o feminino faz a semifinal na sexta-feira, provavelmente contra o Canadá.

Um outro atleta do Time São José está disputando o Parapan. É Alexandre Daniel, 44 anos, que conta com apoio da Prefeitura de São José dos Campos, como atleta avulso, por meio da LIF (Lei de Incentivo Fiscal). A disputa da modalidade em Lima será realizada na sexta-feira (30) e no sábado (31).

Até a noite de quarta-feira, o Brasil liderava o quadro geral de medalhas dos Jogos Parapan-Americanos com 75 ouros, 62 pratas e 56 bronzes (193 medalhas no total). Os Estados Unidos estavam em segundo, com 49 ouros e um total de 136 medalhas.

Athlon

As equipes de atletismo e natação PCD que representam a cidade de são José dos Campos são geridas pelo Instituto Athlon. O instituto atende pessoas com deficiência física, visual e intelectual, sendo referência em nove modalidades de iniciação e de alto rendimento, englobando mais de 80 paratletas com idades entre 11 e 58 anos.

O Athlon gerencia as modalidades olímpicas de natação, ciclismo, atletismo e wrestling (luta olímpica). Também desenvolve no município o basquete 3×3, ciclismo e wrestling como modalidades adultas de alto rendimento.

A Prefeitura de São José dos Campos apoia o esporte de alto rendimento PCD (pessoa com deficiência) por meio da LIF (Lei de Incentivo Fiscal).

WhatsApp chat