OUÇA: Magoado, Petiti acha que poderia ter tido apoio e lamenta isso não ter ocorrido

Fernando Petiti (MBD), ex vereador, por São José dos Campos, e que perdeu o cargo por decisão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), falou pela primeira vez com exclusividade ao Jornal Piratininga, depois de deixar a vereança na terça-feira (05/02) à noite.

Petiti foi cassado, sem prejuízo aos direitos políticos, por causa de mudança de partido. Ele era do PSDB e trocou o partido pelo MDB, antes das eleições do ano passado, quando se lançou à corrida para Assembleia Legislativa.

Petiti (MDB) se despede da vereança e Dié (PSDB) assume amanhã (07/02)

Petiti sabe que corria o risco de ser punido pela Justiça. Ele está magoado por achar que teria o apoio de pessoas ligadas à politica. “Também no meio desse processo eu acho que poderia ter tido uma defesa diferente de algumas pessoas, que não houve, mas também são momentos que cada um decide o que vai fazer. Você pede ajuda pra pessoa e a pessoa diz não dá, não consigo”.

Essa defesa seria no dia a dia, sem nenhum tipo de contrapartida.

Petiti também faz uma avaliação do comportamento de Dilermando Alvarenga, o Dié, no caso. Foi Dié quem provocou à Justiça para requerer o cargo, já que era o primeiro suplente de Petiti. “Antes de começar o pleito eleitoral, eu sentei com ele (Dié), pedi para não fazer e aí ele falou que responderia. Cada um decide o que quer e depois o futuro vai dizer o que vai acontecer”, diz Petiti

A decisão da Justiça não o impede de aceitar um convite na gestão Felício Ramuth, se for o caso. 

A decisão do TRE não retira os direitos políticos de Petiti. Desta forma, ele já vai trabalhar para as eleições do ano que vem.

OUÇA A ENTREVISTA COM FERNANDO PETITI.

Jesse Nascimento

Desenvolvedor Web - Relbert Ribeiro