OUÇA AO VIVO 750 AM

Negociações com a GM não avançam e trabalhadores paralisam produção por uma hora e meia

Negociações com a GM não avançam e trabalhadores paralisaram produção por uma hora e meia, na manhã de hoje, em São José dos Campos. O Sindicato dos Metalúrgicos fez uma assembleia, na entrada do primeiro turno dos trabalhadores, na qual explicou como andam as tratativas com os dirigentes da montadora.

Decisão sobre futuro da GM, em São José dos Campos, deve acontecer em 20 dias

A avaliação do Sindicato é de que a carga que a GM quer impor sobre os trabalhadores é muito grande. Até aqui foram quatro reuniões, sem evolução em relação a muitos dos 28 pontos propostos pela empresa. Por nota o Sindicato diz que “a montadora se mantém intransigente em relação a direitos caros aos metalúrgicos. Entre os pontos que a GM insiste em manter estão congelamento de salário, nova grade salarial, terceirização irrestrita e fim da estabilidade no emprego para lesionados. A íntegra da proposta inclui 28 pontos – todos referem-se a retirada de direitos”, ressalta a nota.

O Sindicato admite que houve avanços em alguns pontos, como o recuo na tentativa de aumentar a jornada para 44 horas semanais e aplicar a jornada intermitente e contrato de trabalho parcial na fábrica de São José dos Campos.

Na semana que vem haverá uma assembleia geral, que pode ser definitiva com todos os trabalhadores. O Sindicato diz que irá acatar a decisão dos trabalhadores.

Atualizado 09h30 (01/02/19) 

Jesse Nascimento

WhatsApp chat