OUÇA AO VIVO 750 AM

GM recua e assembleia decide na quarta-feira futuro da planta em São José

A General Motors (GM) recuou e assembleia decide na quarta-feira (06/02), à tarde, o futuro da planta em São José dos Campos. Depois de muita pressão e negociação por parte do Sindicato dos Metalúrgicos, a montadora diminui de 28 para 10 os pontos, que foram colocados na mesa de negociações, para que sejam investidos R$ 5 bilhões, só na unidade do Vale do Paraíba, a partir de 2022. O governo de São Paulo, através do secretario da Fazenda do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, e a Prefeitura de São José dos Campos também participaram das negociações. Mesmo com a diminuição dos pontos, o Sindicato diz ser contra a proposta da GM, mas ressalta que decisão da assembleia é soberana e será respeitada.

Reuniões movimentam trabalhadores a respeito da situação da GM

A assembleia de quarta-feira vai reunir os funcionários do primeiro e segundo turnos às 14h45, no pátio da montadora. Até a última sexta-feira, GM havia recuado em alguns pontos. A GM recuou, por exemplo, na tentativa de aumentar a jornada para 44 horas semanais e aplicar a jornada intermitente e contrato de trabalho parcial na fábrica de São José dos Campos. Mas era reticente quanto a política de salários e defendia o congelamento dos mesmos, nova grade salarial, terceirização irrestrita e fim da estabilidade no emprego para lesionados. A montadora, só em São José tem 1.300 funcionários lesionados.

Nesta terça-feira (05/02), no primeiro turno, que começa às 05h30, os funcionários receberão os pontos nos quais a GM não aceita mais negociar.

Jesse Nascimento

 

WhatsApp chat