OUÇA AO VIVO 750 AM

Presidente Temer e ex-ministro são presos na Lava Jato

Ex-presidente Temer é preso em São Paulo.  O mandato de prisão foi expedido pelo juiz, Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro.  A Prisão é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A prisão é decorrência da operação Lava Jato.

A suspeita é de Michel Temer é chefe de uma organização criminosa há 40 anos.

Caso Praia Grande: Felício Ramuth (PSDB) vira réu na Justiça e nega irregularidades

A Polícia Federal também prendeu também o ex-ministro de Temer, Moreira Franco. Há ainda mandado de prisão do coronel João Batista Lima Filho e mais cinco pessoas, entre elas empresários.

O ex-presidente deve ser levado ao IML (Instituto Médico Legal) e depois embarcar no Aeroporto de Cumbica para o Rio de Janeiro.

Não se sabe ainda por qual processo Michel Temer foi preso, uma vez que ele responde a dez processos. O caso, que está com o juiz Marcelo Bretas, trata das denúncias do delator José Antunes Sobrinho, dono da Engevix.

À Polícia Federal o empresário disse que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer.

O juiz Marcelo Bretas mandou prender as seguintes pessoas:

PRISÃO PREVENTIVA

  • Michel Miguel Elias Temer Lulia, ex-presidente –
  • João Batista Lima Filho (coronel Lima), amigo de Temer e dono da Argeplan 
  • Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear 
  • Wellington Moreira Franco, ex-ministro do governo Temer
  • Maria Rita Fratezi, arquiteta e mulher do coronel Lima 
  • Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima na Argeplan
  • Carlos Alberto Costa Filho, diretor da Argeplan e filho de Carlos Alberto Costa 
  • Vanderlei de Natale, sócio da Construbase 
  • Ana Cristina da Silva Toniolo 
  • Carlos Alberto Montenegro Gallo

PRISÃO TEMPORÁRIA

  • Rodrigo Castro Alves Neves
  • Carlos Jorge Zimmermann 

Outro lado

O presidente Michel Temer disse ao jornalista Kennedy Alencar, da CBN, que a prisão “é uma barbaridade”

O MDB, partido de Temer e Moreira Franco, divulgou nota na qual repudia a posição da Justiça: “O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa”, diz o texto.

 

Jesse Nascimento 

WhatsApp chat