Em vídeo divulgado nas redes sociais, Temer comenta baixa da inflação

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente Michel Temer comemorou o fato da inflação ter fechado 2017 com alta acumulada de 2,95%, abaixo do piso estipulado pelo governo, que era 3%. O presidente se disse feliz em anunciar o fim da recessão atravessada pelo país nos últimos anos.

“É isso, meus amigos: estou feliz de poder anunciar que cumprimos em 2017 o compromisso de recuperar a nossa economia da recessão mais profunda de sua história”, disse. No vídeo, ele atribuiu a inflação do ano passado principalmente à queda do preço dos alimentos.

“A inflação baixa é resultado sobretudo da queda dos preços dos alimentos, graças à nossa safra recorde de grãos. Mas é fruto também de nossa equipe de governo ter tomado decisões econômicas corretas e equilibradas. Com os preços mais baixos nos supermercados, os salários têm melhor poder de compra e as famílias podem consumir mais”.

Temer dedicou o dia de hoje para divulgar a notícia. Ele convocou reunião com ministros da equipe política e econômica, no Palácio do Planalto, para celebrar os números.

PEC do Teto de Gastos
Já em participação no programa Voz do Brasil, no início da noite, Temer afirmou que a Emenda Constitucional que limita os gastos públicos, aprovada no fim de 2016, foi o ponto de partida para queda da inflação. Ele afirmou que a medida adotada pelo governo em seus primeiros meses foi a forma de combater a “grave crise” na qual o país se encontrava.

“Quando entramos no governo encontramos o país numa grave crise. Precisávamos retomar a confiança de todos para poder investir, gerar empregos. A crise tinha natureza fiscal. Tínhamos que estabelecer um teto para os gastos públicos”, disse Temer. “Enxugamos o orçamento, preservando investimentos em saúde e educação. O Brasil saiu da pior recessão da história e os números já comprovam isso”, completou.

Repetindo o que já havia dito mais cedo na reunião com ministros, Temer afirmou que a inflação baixa e juros menores valorizam o salário do consumidor. “O Brasil voltou e certamente teremos um 2018 ainda melhor”, concluiu.

Agência Brasil