Banco de Leite Humano precisa de doações neste fim de ano

O estoque de leite materno caiu pela metade no Centro de Referência Nacional e Ibero-americano para Bancos de Leite Humano, do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), no Flamengo, zona sul do Rio.

Mães que estão amamentando podem doar o leite excedente, que é utilizado na Unidade de Tratamento Intensivo neonatal do instituto e de outras instituições parceiras no estado. Somente no instituto, são aproximadamente 40 leitos para bebês prematuros e de baixo peso.

De acordo com a gerente do Centro de Referência para Bancos de Leite Humano do IFF, Danielle Silva, a queda do estoque costuma ocorrer no período de dezembro a fevereiro, quando boa parte das famílias deixa a cidade. “Em novembro, conseguimos coletar 300 litros de leite, mas, até agora, coletamos somente 150 litros”, lamentou.

Danielle informou que o desconhecimento da importância da doação ainda é grande. “O leite que sobra, que é jogado fora, pode ajudar a salvar vidas. Um dedinho de leite pode alimentar de cinco a dez bebês, pois a dieta de um prematuro é pequena. Por menor que seja a doação, terá um valor enorme”, explicou a médica.

As mães que desejarem contribuir devem entrar em contato pelo telefone gratuito 08000 268877 ou procurar o Banco de Leite Humano mais próximo. A partir do contato, é feito um cadastro e uma inscrição. A única exigência é que a mãe esteja amamentado o próprio filho.

O uso de medicamentos deve ser informado, para que seja verificada a possibilidade da doação. A mulher também recebe orientações e, se necessário, tratamentos para solucionar problemas relacionados à amamentação.

Danielle acrescentou que as mães cadastradas não precisam sair de casa, pois contam com serviço de coleta domiciliar. Nesse caso, o leite deve ficar armazenado no recipiente fornecido pelo próprio banco.

Agência Nacional 

Desenvolvedor Web - Relbert Ribeiro