OUÇA AO VIVO 750 AM

ADL da dengue começa nesta segunda em todas as regiões de São José

A Prefeitura de São José dos Campos inicia nesta segunda-feira (15) a nova ADL (Avaliação de Densidade Larvária), a segunda deste ano. O objetivo do trabalho é checar os níveis de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti em diferentes regiões da cidade.

Prefeitura anuncia reajuste na tarifa do transporte coletivo em São José

O levantamento, que é feito pelas equipes do Centro de Controle de Zoonoses, também possibilita saber onde há maior predominância e o tipo de criadouro (recipiente que possa acumular água), mais comum em cada região.

A campanha ocorrerá até 30 de abril, seguindo metodologia preconizada pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias). Serão visitados 17.792 imóveis, distribuídas em 2.989 quadras sorteadas em toda a zona urbana do município. No total, trabalharão nesta ação 10 equipes.

Com base nos dados obtidos nessa avaliação, serão definidas as melhores formas de combate às doenças no próximo período. Por exemplo, pode-se redirecionar e intensificar algumas medidas ou alterar as estratégias de controle do mosquito adotadas pelo município.

Pesquisas anteriores

A primeira pesquisa de 2019, realizada em janeiro, revelou um índice de 1,0 — o que representa queda em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foi registrada taxa de 1,4. Durante a pesquisa, foram vistoriados 18.031 imóveis em 16 dias.

O índice larvário (Índice Breteau) corresponde ao número de imóveis em que foram encontrados recipientes com larvas do mosquito Aedes aegypti durante a avaliação. 

Os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde preconizam o índice 1,0 como limite ideal, que confere uma baixa probabilidade de risco à epidemia.

No ano passado foram realizadas quatro pesquisas. A primeira, em janeiro, revelou um índice de 1,4, que representava estado de alerta em relação à infestação do Aedes aegypti. A segunda avaliação, em abril, já apontou um índice bem menor: 0,6, o que indicava que o município apresentava um status de nível aceitável. A terceira, em julho, apontou índice de 0,1, nível de classificação baixo. A última, em outubro, apontou novamente índice baixo, de 0,3.

Com a chegada do outono, as pessoas precisam ficar atentas à reprodução da dengue. O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Prefeitura de São José dos Campos mantém várias ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das arboviroses, em todas as regiões da cidade.

Ações intensificadas

Com a chegada do outono, as pessoas precisam ficar atentas à reprodução da dengue. O CCZ mantém várias ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das arboviroses, em todas as regiões da cidade.

Embora o índice larvário não esteja alto, o monitoramento é constante e, durante as visitas, os agentes do CCZ fazem trabalho de educação, orientando a população sobre os riscos das doenças.

Desde o início do ano também são realizadas diversas ações de combate ao vetor, que visam o monitoramento dos níveis de infestação e eliminação dos criadouros. Entre elas estão as visitas domiciliares e a pontos estratégicos da cidade.

Nos três primeiros meses de 2019, além das 18 mil residências visitadas durante a ADL foram trabalhados outros 43.815 imóveis com ações de bloqueio de controle de criadouros e nebulização de áreas.

As equipes do CCZ também realizaram atividades de mobilização social com stands, distribuição de folderes e orientação à população em áreas de grande circulação de pessoas, totalizando uma abordagem de pelo menos 2.400 pessoas nesta atividade.

A orientação à população é evitar juntar recipientes que possam acumular água.

Queda da dengue

No primeiro trimestre deste ano foram registrados 115 casos, sendo 94 autóctones (contraídos na cidade) e 21 importados. No mesmo período de 2018 foram 120 e, em 2017, 183.

Em 2018 inteiro, São José registrou uma queda de 45,2% dos casos de dengue, comparado com 2017. No ano passado, foram registrados 198 casos da doença no município, contra 438 em 2017. 

De 2016 – quando foram registrados 1.731 casos – para 2017, o número de casos já havia registrado uma grande queda, de 74,6%.

Bairros que serão avaliados de 15 a 17 de abril

Região sul:

Residencial Primavera, Jardim del Rey, Bosque dos Eucaliptos, Jardim Portugal, Jardim Madureira, Jardim Estoril, Quinta das Flores, Residencial Sol Nascente, Jardim das Azaléias, Parque Industrial, Palmeiras de São José, Jardim Petrópolis, Jardim Veneza, Conjunto 31 de Março, Vale do Sol, Morada do Sol, Recanto dos Pinheiros, Residencial de Ville, Recanto dos Eucaliptos, Parque Independência, Chácaras Reunidas, Rio Comprido, Vila das Flores, Jardim Cruzeiro do Sul, Conjunto Habitacional João Paulo 2º, Dom Pedro 1º, Dom Pedro 2º, Jardim Nova República, Jardim dos Bandeirantes, Jardim Colonial e Jardim Imperial.

Região leste:

Residencial Ana Maria, Residencial Campo Belo, Jardim Nova Detroit, Jardim Nova Flórida, Jardim Pararangaba, Jardim Califórnia, Jardim Santa Inês 2, Jardim São Vicente, Santa Cecilia 1, Santa Cecília 2, Campos de São José, Jardim Americano, Recanto do Vale, Jardim Monterrey, Jardim Mariana 2, Cajuru, Conjunto Intervale, Parque das Américas, Conjunto Habitacional Tatetuba, Vila Tatetuba, Vila Industrial, Jardim Ismênia, Jardim Copacabana, Jardim Universo, Jardim São Jorge, Jardim Valparaíba, Jardim São José 1, Santa Maria,Capão Grosso 1, Capão Grosso 2, Majestic, Portal do Céu, Santa Lúcia, Primavera 1, Primavera 2, Bom Retiro, Chácara Boa Esperança, Santa Hermínia, Bairrinho, Vila Matilde, Bom Retiro e Ebenezer.

Região central: 

Vila Rhodia, Vila Rossi, Vila São Paulo, Vila Viaduto, Vila Abel, Jardim Nova Esperança (Banhado) , Jardim Nova América, Jardim Nova Europa, Jardim Esplanada, Vila Santa Rita, Jardim Esplanada 2, Conjunto Habitacional Vale dos Pinheiros, Esplanada do Sol, Jardim do Golfe, Serimbura, Condomínio Chácara dos Eucaliptos, Jardim Oswaldo Cruz, Jardim Augusta, Jardim Topázio, Jardim Aparecida, Jardim do Vale do Paraíso, Vila Piratininga, Vila Ipiranga, Vila Oliveira, Centro, Vila Igualdade, Vila Ema, Jardim Apolo 1, Jardim Apolo 2 , Vila Higienópolis, Vila Paulo, Vila Adyanna, Vila Nove de Julho, Jardim Nova Europa, Vila Betânia, Vila Zefa, Vila Luzia, Jardim Nossa Senhora de Fátima, Jardim Maringá, Vila Guaianazes, Jardim Santa Madalena, Vila Rubi, Vila Acari, Vila Sanches, Jardim São Dimas, Jardim São José (centro), Vila Cardoso, Vila São Pedro, Jardim Paulista, Vila Guarani, Vila Ipiranga, Jardim Leopoldo e Residencial Martins.

Região oeste:
Urbanova.

Região sudeste:
Santa Júlia, Santa Rosa, Santa Luzia, São Leopoldo, Pinheirinho dos Palmares.

Região norte: 
Alto da Ponte, Vila Nossa Senhora das Graças, Vila São Sebastião, Vila Monte Alegre e Vila Leonídia.

WhatsApp chat