OUÇA AO VIVO 750 AM

Acusados de matar músico norte-americano irão a juri em São José

Três acusados pelo roubo, morte e ocultação de cadáver do músico norte-americano, Raymond James Merril, em abril de 2006, irão a juri popular no fórum de São José dos Campos. A data do julgamento foi publicada pela Justiça na última segunda-feira (26) e será no dia 29 de outubro. 

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

O músico teria vindo ao Brasil para um encontro amoroso com uma mulher, (que ele conheceu pela internet) que acabou envolvida no processo. A esteticista Regina Filomena Rachid, que segundo a denúncia foi quem marcou o encontro com a vítima. Outros envolvidos no crime são Evandro Celso Augusto Ribeiro e Nelson Siqueira Neves. Regina está solta desde 2012, graças a um habeas corpus do Superior Tribunal de Justiça, sua defesa alega inocência. Os outros dois acusados estão presos. 

As informações do processo dão conta que o músico foi mantido em cárcere, dopado com remédios, por cinco dias, enquanto teve a conta bancária esvaziada. O roubo, segundo a denúncia, foi de mais de US$ 100 mil. Depois disso, o norte-americano teria sido assassinado e seu corpo queimado, tendo sido encontrado posteriormente em uma estrada rural de Caçapava.

Regina Rachid teria um caso com Nelson Neves, que segundo a acusação, cometeram o roubo e assassinato. Evandro Ribeiro teria participado  na ação e por ter colaborado com a ocultação do cadáver, que foi abandonado em uma estrada., acabou envolvido no processo. Raymond James foi morto por enforcamento.

A defesa de dois, dos três acusados (Regina e Nelson) alegam inocência. Embora conste no processo a representação de um advogado, Evandro Ribeiro está sem advogado de defesa e depende da defensoria pública.

WhatsApp chat