OUÇA AO VIVO 750 AM

30ª Festidança eleva temperatura da cidade a partir de quinta

Nesta semana começa a 30ª edição do Festidança, promovido pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo e Prefeitura de São José dos Campos, e que promete movimentar todos os cantos da cidade com diversidade de ritmos. O festival acontece entre os dias 13 e 23 de junho.

O tradicional festival é uma oportunidade diferenciada aos bailarinos e academias de mostrar seus potenciais e de aprender com as apresentações das companhias convidadas e com os workshops e palestras de profissionais.

arte
Festival de Dança acontece nos dias 13 a 23 de junho em vários espaços de São José dos Campos – Foto: Ilustração

A dança movimenta também a economia. Neste ano, foram selecionados 150 grupos de dança com 392 coreografias. O setor envolve figurinistas, cenógrafos, professores, maquiadores, costureiros, centenas de academias (pequenas e microempresas), aquecendo o mercado de milhares de profissionais.

Com o tema “A escola é o meio”, a 30ª edição promete encantar o público com as apresentações e premiar os destaques desta grande festa. O público vai poder prestigiar os espetáculos de balé, jazz, danças contemporâneas, étnicas, urbanas, salão, sapateado, populares e folclóricas.

A novidade deste ano são as bolsas de estudo e os cursos oferecidos por festivais e escolas parceiras, que darão oportunidades de aperfeiçoamento na dança em festivais e escolas nacionais e internacionais. Além disso, a FCCR contemplará os selecionados que receberem a bolsa com uma ajuda de custo para custear as despesas durante os cursos ou festivais em que foram selecionados.

Os tradicionais prêmios, em dinheiro, para os melhores bailarinos e o destaque do Festival foram mantidos. E os participantes que se classificam em 1º, 2º e 3º lugares, em cada estilo de dança, recebem troféu.

As mostras

Entre os selecionados, 81 grupos vão participar da Mostra Competitiva, com 235 coreografias. Da Mostra Paralela, são 55 coreografias; da Mostra Infantil, 38; da Mostra Contemporânea, 6; e dos Movimentos Urbanos, 58 coreografias. Além disso, o 30º Festidança vai contar também com as apresentações de 18 convidados.

A Mostra Infantil, com bailarinos de até 12 anos de idade, não é competitiva, mas os coreógrafos receberão comentários dos especialistas convidados e receberão troféus de participação. Duas coreografias serão selecionadas e as escolas recebem, como prêmio, uma consultoria artística especializada para aprimorar o trabalho do grupo.

A Mostra Contemporânea acontecerá em espaços alternativos, como o CET (Centro de Estudos Teatrais), parques e praças da cidade. Serão selecionados grupos de dança amadores e profissionais com coreografias que apresentam a diversidade de linguagem para o público que aprecia e pesquisa e a arte da dança.

A Mostra Paralela abrange pequenas coreografias, de até 30 minutos, que circulam por escolas e casas de cultura e outros espaços da cidade.

Os participantes da mostra paralela e mostra contemporânea recebem uma ajuda de custo pela participação no Festival.

Mostra de Danças e Movimentos Urbanos

Na região sul da cidade, no Núcleo de Ação Cultural Descentralizada, que fica no pavilhão do Centro da Juventude, haverá “Danças e Movimentos Urbanos”, com Batalha de Danças Urbanas, nos estilos Locking, Popping, Break dance e Hip Hop free style, além de espaços para prática de skate, parkour, circo e outras atividades ligadas aos movimentos urbanos.

Teatro Municipal

No Teatro Municipal, serão apresentadas as coreografias competitivas de vários estilos de dança, balé clássico, dança contemporânea, dança de salão, danças populares, dança do ventre, jazz dance, jazz musical, balé de criação, danças urbanas e sapateado. Além das coreografias competitivas, o teatro recebe um espetáculo profissional em cada noite, especialmente convidado pela Curadoria, de renomes nacional. Os ingressos serão solidários: doação de macarrão ou molho de tomate.

Outras ações

O Retrô Dancing terá uma edição especial no deck da avenida Anchieta, onde o público costumava se concentrar na década de 80, conhecida como a “Rua do Por do Sol” e também estão previstas Jam Sessions nos parques e praças da cidade, lançamentos de livros e palestras sobre dança e a abertura da exposição que retrata o histórico de 30 anos do festival.

WhatsApp chat